sábado, 12 de março de 2011

À vossa compreensão





       Algumas notas que gostaria, nesta hora, de partilhar convosco.

    Ao longo da noite de ontem, 11.03,  na companhia da Etsuko, segui a par e passo os desenvolvimentos da tragédia que acabara de se abater sobre o Japão, sobretudo através dos canais televisivos de cá e também das edições online de alguns jornais de referência.

      Uma vez que ao longo desse período, estive permanentemente atento tanto ao televisor, notíciários, e bem assim às comunicações e mensagens que ia recebendo neste espaço, assim como via facebook e nas caixas de e-mail, na medida do possível, procurei ter o cuidado de ir respondendo às mensagens de atenção, simpatia e solidariedade que recebi de vários amigos e de leitores e visitantes ocasionais deste espaço,  com o passar das horas. 

     Tomo agora mais esta chance para, a todos sem excepção, agradecer do fundo do coração, as palavras de preocupação, de amizade, de apoio e solidariedade que aqui recebi, nesta hora particularmente difícil para a Nação que me acolhe. Jamais vos esqueceremos.

      Esta manhã, regressando a este pequeno ecrã, deparo-me com inúmeras visitas a este espaço, algumas novas mensagens de atenção de tantos de vós, ainda inúmeras mensagens via facebook e uma caixa de e-mail repleta. 

        Em particular a todos aqueles que me visitam agora pela primeira vez ou que só recentemente visitaram este blogue questionando-se sobre a situação do seu autor, residente no Japão, face à situação dramática que este país vive nesta hora, tomo ainda esta chance para prestar alguns esclarecimentos que considero pertinente da minha parte aqui deixar.

          O autor deste blogue , reside em Fukuoka,  norte da ilha de Kyushu, área situada cerca de 1200 km a sudoeste da região directamente afectada pela catástrofe ocorrida ontem (Tōhoku [東北地方], Nordeste do Japão) — ou seja no extremo oposto do dito território mais afectado —, e onde o sismo mal foi sentido, não tendo por esse motivo, o mesmo autor deste  blogue, sequer se apercebido do ocorrido durante a tarde de ontem, e só tendo do mesmo tomado conhecimento ao final da tarde, de regresso a sua casa. 

        Achando-se a salvo do pior das consequências deste cataclismo, não obstante sente na pele a imensa angústia desta hora, mormente pelo facto de a sua família — mulher e sogros — ser oriunda da região/Prefeitura de Iwate [岩手県], mais concretamente da povoação de Ōfunato [大船渡市], uma das áreas mais violentamente devastadas, e apesar destes seus familiares mais próximos se acharem junto si, em Fukuoka, igualmente a salvo do pior, são, contudo, vários os parentes distantes que residem na dita área mais afectada de Ōfunato e suas imediações e como tal — e tendo sobretudo presente a enorme dificuldade neste momento em contactar as pessoas apanhadas nas zonas sinistradas, mormente por efeito do corte geral das telecomunicações nas áreas em causa —, neste momento é muita a apreensão sentida, sobretudo por até ao momento não sabermos qual a situação real destes nossos familiares residentes nas áreas directamente afectadas pela catástrofe de ontem. É nestes entes queridos que nesta hora depomos toda a nossa angústia

    Pelo exposto, peço-vos que não estranheis particularmente algum eventual silêncio prolongado da minha parte nas próximas horas ou dias. 

       Como certamente compreendereis este não é um momento normal nas nossas vidas, de todos quantos neste país se acham nesta hora, e em particular daqueles que de um modo ou de outro, mais ou menos directamente afectados pelos eventos de ontem, carecem neste momento de especial resguardo. Este é um tempo cuja dor e incredulidade, o estupor perplexo perante as imagens e as informações que se repetem e sucedem nos canais informativos, não deixam margem de maior para pensamentos que escapem à realidade mais imediata daquilo que nos fere vida adentro.

         Espero e agradeço desde já a vossa melhor compreensão.

        A todos os leitores e visitantes deste espaço, uma vez mais 
        o meu mais sentido agradecimento.


        LUÍS FILIPE AFONSO, "NBJ", Hakata, Fukuoka-shi, Kyushu, Japão, 12.03.2011

        



16 comentários:

  1. As minhas orações pelas gentes do Japão. Congratulo-me que o Luís e família estejam bem. O Japão é um grande país e, com certeza, recuperará depressa. Um abraço desde Portugal.

    ResponderEliminar
  2. Seja como for, estou aterrado com as notícias e imagens. Agora, esta explosão na central... Abraço para 120 milhões.

    ResponderEliminar
  3. Luís Afonso,
    Um abraço e que este momento de dor passe rapidamente.

    ResponderEliminar
  4. ...bem sei que nada podemos de facto fazer, mas estamos solidários com a vossa dor e apreensão.
    Nem tenho palavras reais...
    A cada hora cresce o espanto e o sofrimento.
    Lamento imenso...

    ResponderEliminar
  5. Espero que as notícias dos seus não tardem e possam ser as melhores.
    Abraço solidário

    ResponderEliminar
  6. As minhas orações estão presentes, nada mais posso fazer, um sentimento de impotência tolda-me o juízo e perturba a minha paz, gostaria de estar presente para prestar o meu auxílio fosse como fosse.
    Na minha mente e no meu coração oro por vocês todos do melhor modo que sei e posso, apesar de todas as imperfeições do meu ser.

    Deus esteja convosco, Deus esteja consigo e com todos os seus nesta hora difícil.
    Obrigado por tudo.

    BB / Diogo Carvalho

    ResponderEliminar
  7. Meus pensamentos estão no Japão.
    Sincera simpatia.
    Saudações da Polónia.

    ResponderEliminar
  8. ...continuamos convosco. Atentos e firmes.
    Do que possa servir.
    As preces, a vós, a todos, àqueles que tanto sofrem, aos que ainda tanto sofrerão.
    Os últimos pensamentos ao adormecer, os primeiros ao despertar - como está a situação no 'meu' Japão?
    Abraço, sempre.

    ResponderEliminar
  9. Faço votos para que tudo vos corra bem, pelo que desde já manifesto a minha solidariedade para convosco e para com todos os japoneses que estão a viver essa tragédia.
    Abrs

    ResponderEliminar
  10. Olá Luis,

    Tenho estado atenta às notícias, mas confesso que já não consigo ver mais imagens que me deixam muito angustiada.
    Do fundo do coração ainda bem que tu e a tua esposa estão a salvo e sempre na esperança que as notícias das pessoas que te estão próximas estejam bem.

    Força e calma.

    Um beijo

    Sara

    ResponderEliminar
  11. São impressionantes as imagens que chegam do Japão. Um povo habituado a estes revezes da natureza, mas demasiado castigado desta vez. Desde o primeiro minuto que me apercebi da dimensão...9 é um sismo terível. Agora o problema nuclear.Que Deus proteja o japão!

    ResponderEliminar
  12. Caro Luís Afonso,

    Imagino o quanto deve ser duro estar tão próximo de tal catástrofe. Desejo a si toda a força para lidar com a situação. Espero que os seus próximos estejam bem e que logo tenham conforto.
    Há algum tempo, quando da catástrofe na região serrana do Rio, uma pessoa próxima de mim (e toda a sua família) ficou durante três semanas sem saber o destino de um familiar já muito idoso.
    Nessas zonas atingidas por estes eventos a confusão reina e a informação é das primeiras vítimas.
    Felizmente, quando já todos tinham perdido a esperança, o tal familiar octogenário conseguiu contactar um familiar e comunicar que estava bem.


    Saudações.

    ResponderEliminar
  13. Caro Amigo,

    Uma tragédia... Mas acredito que o Japão será o país do Sol (re)nascente.

    Um grande abraço.

    ResponderEliminar
  14. Ever wanted to get free Google+ Circles?
    Did you know you can get these ON AUTOPILOT AND ABSOLUTELY FOR FREE by registering on Like 4 Like?

    ResponderEliminar